domingo, 5 de setembro de 2010

Acordei com um gosto amargo na boca, marcas da noite que passou.
Sem arrependimentos, apenas aquele gosto, mais uma vez. O que não é algo ruim, só que ele me tira de órbita e faz com que eu perca os sentidos.
Mal sabe, nem imagina... Ou sabe?
Prefiro ficar na dúvida, prefiro achar que ainda sei disfarçar todos meus pensamentos e todas as minhas vontades.
Corpo leve, mente nas nuvens, pensamentos a 200km/h. Intenso, como eu queria que fosse.
Me lancei no ritmo, no teu ritmo, mesmo que você não soubesse, mesmo que você, talvez, não tenha visto. Em minha mente tudo estava combinado, tudo estava encaixado, como deveria ser.
Esperei por essa noite, desejei essa noite. Aquela sensação de minutos transformados em horas me consumiram o dia inteiro.
Deixei rolar todos os segundos, estava assim, vuneravel... Bastava só pegar na minha mão, me levaria para onde quisesse, a qualquer momento.
As batidas, o meu corpo, meu suor, minha sede e euforia. Tudo em perfeita sincronia.
Eu estava entregue, eu estava apaixonada.
Sem filtros, sem freios, sem medos... Impossivel resistir.

Nenhum comentário:

Postar um comentário